La Revancha del Tango - Cronicas Argentinas
sexta-feira, outubro 31, 2003
 
V CRONICA DO NOVO MUNDO
Passaram sensivelmente nove meses desde que cheguei a esta bela cidade baptizada em 1536 por Pedro de Mendoza de Ciudad de Santa Maria del Buen Ayre.

Nove meses??? Epa, quer dizer que terminou o Programa Contacto.... putz grila ta na hora do pau (traducao: chegou a hora de ir embora).

Esta e a ultima cronica. Em jeito de resumo escolhi o que considerei “o melhor” e “o pior” do que por ca vi e, desde ja desafio os restantes contacteantes a fazerem algo do genero sobre os seus respectivos paises. No final vem a parte melointrospectiva da hora da despedida.

Sim, ja estou de ferias (eufemismo para desempregado) e de malas aviadas. Neste preciso instante estou com a mochila as costas para partir para o Manchu Picchu. A viagem e de largos milhares de kms em autocarro e, apesar de ter como destino a Cidade Sagrada do Imperio Inca, tera varias paragens pelo caminho - mais umas voltinhas pela Argentina, Chile, Peru e sul do Brasil. Na medida do possivel vou enviando cronicas e fotos. O regresso a Lisboa e para o Natal.

Bom, comecemos entao pelo melhor.

O melhor – a quota de bom humor
E mais que conhecida a crise argentina. De facto Argentina esta em crise, e, segundo se diz em jeito se piada, a unica saida da crise e o Aeroporto Internacional com uma viajem de ida para a Europa. Os niveis de desemprego sao altissimos, e os que trabalham recebem de menos e trabalham de mais. As pessoas nao acreditam nos politicos, nao tem poder de compra... etc, etc, etc. No entanto, e apesar de tudo isto, querem aproveitar a vida e mantem o que se pode chamar a “quota de bom humor”.

Ao longo das cronicas fui descrevendo um bocado disto, da vontade de viver dos Argentinos. Nao ha dinheiro para ir a um bar junta-se em casa e divide-se a bebida, nao ha dinheiro para uma camisa importada compra-se uma argentina. E tudo isto e feito com um sorriso nos labios, com uma piada a mistura, com um sorriso aberto.

Se juntarmos a isto a “vaidade argentina” o facto e que nao se percebe que este pais esta em crise. Nao se percebe que ha menos de dois anos o estado “declarou falencia” e apoderou-se da riqueza das familias acumulado nos bancos. Bom, antes de mais aclarar o que eu chamo de “vaidade argentina”. O argentino gosta de se arranjar bem (entao as argentinas.... uuuuhhhhmmm), gosta de ser sofisticado, de estar bonito, de ter a casa bonita, de ser requintado, e orgulhoso se si e do seu pais. Por isso nao quer perder tempo com lamurias, com tristezas, nao quer ser um coitado.

E como e possivel ser-se coitado na Paris da America do Sul? Num pais com tanta diversidade geografica. Num pais que tem o Glaciar Perito Moreno, as Cataratas do Iguazú, Puerto Madrin onde as baleias vao ter as crias, Bariloche e as suas estancias de que nada se envergonham quando comparadas com as melhores europeias, os Andes e todas as suas lendas, Mendoza e os fabulosos vinhos, Salta, Jujuy, Cordoba, a Patagónia, Terras del Fuego, tambem conhecido como o “Fim do Mundo...”

Com e possivel ser-se coitado na Terra do melhor jogador de Futebol de todo o sempre, o Pibe de Oro el gran Maradona, na terra do homem cuja imagem representa a Revolucao – ele mesmo El Che; a terra de Evita, do Fangio, do Borges, do Piazzola, do Gardel. A terra da avenida mais larga do mundo, a terra com o teatro mais bonito do continente americano... e tanto mais, e tanto mais.

Por tudo isto o Argentino gosta de receber, gosta que as pessoas se sintam bem, que falem bem deles. Com tudo isto, o facto e que se respira uma forma diferente de estar na vida, uma forma diferente de lidar com os problemas. Tristezas nao pagam dividas... acho que ja percebi o significado deste ditado popular.

O pior – pobreza e a colonizacao
Tambem o pior esta relacionado com a crise argentina. A crise atingiu a quase totalidade da populacao e teve consequencias dramaticas para a classe media, mas o que me chocou mais foram as consequencias para as classes pobres. A pobreza em Buenos Aires e de partir o coracao.

A crise trouxe para a cidade e para as ruas familias inteiras. Ve-se familias que vivem pelas ruas, que dormem em baixo de qualquer ombral, que se abrigam com qualquer trapo para sobreviver ao frio inverno... criancas que crescem no meio de sacos do lixo. Estas familias estavam no campo mas, com a crise, viram-se obrigados a vir para a cidade onde sempre ha um pedaco de carne que sobra de uma refeicao e que eles vao respigar nas traseiras das casas ou nas sobras dos restaurantes.

Reciclagem? Nao e preciso, todos os restos de todas, todos os sacos do lixo vao ser revolvidos durante a noite em busca de qualquer coisa de valor como uma garrafa de vidro vazia, ou o cartao, ou um par de sapatos, ou uma lata de atum fora do prazo...

Depois ha os que pedem nas ruas... e ha de tudo. Corta o coracao ver a velhota da cadeira de rodas que alguem todos os dias poe numa das ruas principais e que fica todo o dia a dormir envolta em xailes e com um caixa de esmolas diante. Parte o coracao ver criancas que constante e irritantemente dizem “una moneda por favor, una moneda por favor” doi ver bebes que servem para ser mais um motivo para pedir esmolas... bebes que vao ser criancas que vao repetir insistentemente “una moneda por favor... una moneda por favor” e que quando ja nao sao tao criancas para receber moedas vao respigar nas traseiras dos predios e depois vao ter filhos que possam ser motivo de uma esmola maior...

Sempre fui contra esmolas e raramente dou dinheiro, e que sempre acreditei no proverbio “se queres matar a fome por um dia da uma esmola, se queres matar por toda a vida ensina a pescar”. Faz sentido num pais europeu em que “so passa fome quem quer”, mas aqui..., aqui essas teorias nao querem dizer nada. As pessoas sao pobres e tem fome... fome, as pessoas tem fome e nao tem que comer e onde buscar comida senao em sacos do lixo... e sabendo isso nao e nada facil ouvir uma crianca que diz insistentemente “una moneda por favor, una moneda por favor”... se nao o e em nenhum lugar, acreditem que aqui e bastante mais doloroso...

E a sociedade vai vivendo com esta pobreza, algumas pessoas aprenderam a viver com tudo isto e a outras nem sequer lhes importa... viver na america do sul e conviver com as maravilhas mas saber que existe pobreza, enormes discrepancias sociais, que a inseguranca esta em todo o lado, que muita gente tem os horizontes muito limitados... muito limitados mesmo, quais serao os sonhos de uma crianca de uma bicha (e como aqui chamam as favelas), o que e o mundo para um bebe que chora sem que ninguem o acuda, a uma crianca que se habituou a agressividade, ao abandono, a dor. Viver na America do Sul e este paradoxo, e viver com o mais belo e o mais cruel da natureza.

Viver na America do Sul e conviver com o verdadeiro significado a palavra colonizacao. Ha 500 anos portugueses e espanhois descobriram uma terra que ha muito estava descoberta. Tomamos pela forca a terra aos seus legitimos donos e fizemos deste solo nosso. Fizemos desta terra a terra para realizar os nossos sonhos mesquinhos de riqueza, poder, luxuria... fizemos isso ha 500 anos e continuamos a fazer. Na America do Sul Seguranca Social e uma piada, a reforma e uma anedota. Os policos roubam descaradamente, os ricos sao cada vez mais ricos e querem ser ainda mais ricos, os pobres vao ser sempre pobres. Os pobres tem fome a mais e educacao a menos.

Colonizacao e isto. E eu invejar a casa do meu vizinho e, como sou mais forte, faco minha a sua casa. Ignoro os seus direitos, as suas vontades e apenas me preocupo com a minha vontade de ter, de ter mais e mais, e os meus filhos vao ser ainda mais ricos e soberbos que eu e os filhos dele ainda mais pobres e resignandos que os dele. Fizemos isto ha 500 anos e continuamos a fazer. Tentamos fazer em Angola mas o angolano nao permitiu, tentaram os Indonesios fazer em Timor e o timorense libertou-se. Fazem os Americanos no Iraque (com a triste conivencia do governo portugues), fazem os chineses no Tibete... e por ai em diante...

E depois do comeco o que vier vai comecar a ser o fim
Nao quero ser muito pesado nesta ultima cronica, por isso, adiante.

Passados que estao os tao famosos 9 meses o sentimento que prevalece e a alegria..., contentamento. Quando embarquei nesta aventura que e o Curso de Gestao Internacional do ICEP tinha vontade de voltar a viajar, vontade de voltar a trabalhar noutro pais, vontade de sair, vontade de novas experiencias, de ser mais rico, de crescer como pessoa. Nao hesitei em abandonar um contrato de trabalho estavel numa empresa de futuro, nao hesitei em mudar habitos e rotinas que de alguma forma incluiam em si alguma seguranca e bem estar. Nao hesitei e embarquei na aventura.

Sei que muito que deixei de viver em Lisboa, muito se passou na minha ausencia, a terra girou, Lisboa mudou, as minhas sobrinhas cresceram, os meus amigos e os meus irmaos ficaram mais gordos, o Bairro Alto foi fechado ao transito, a nova Catedral da Luz foi inaugurada... mas tambem sei que o Carlos Cruz continua a ser noticia nacional, que as minhas sobrinhas vao continuar a crescer, que os meus amigos e irmaos vao continuar a engordar, que o Durao continua no Poder, que o benfica vai continuar a perder...

Mas agora, para mim Buenos Aires ja nao e uma cidade distante. A America do Sul ja nao e uma terra do outro lado do Atlantico, e uma imagem real. E agora o desafio de estar longe da minha Lisboa um ano consecutivo ja nao e uma meta assustadora, mas uma barreira ultrapassada.

E, com isto tudo, afeicoei-me a Buenos Aires. Na hora de mais uma partida sei que uma parte de mim vai ca ficar. Sim, apeguei-me às pessoas, aos habitos a minha maravilhosa casa, aos amigos do bairro e a tantas outras coisas que quando cheguei me pareciam estranhas e agora sao o meu habitat natural, a minha vida, a minha rotina que inclui em si mesmo alguma seguranca e bem estar.Ja sei o nome de muitas ruas de cor, sei o nome de vizinhos e eles sabem o meu. Sei o estado de humor dos meus colegas simplesmente pela forma como dizem “buenos dias” e eles ja se habituaram ao meu portunhol. Nao preciso pedir o tabaco no quiosque ou o cafe na pastelaria...

Mas nao estou nostalgico, nao estou triste, pelo contrario, estou alegre! E que o ser humano e mesmo um animal de habitos, e o meu habito e estar constantemente a mudar de habitos

E duro partir, mas e tao belo chegar! E partir em si tambem contem beleza.

Estou alegre porque, em primeiro lugar era este o plano, a ideia era esta mesmo a de ficar em Buenos Aires 9 meses, portanto esta despedida e a crónica de uma morte anunciada. Eu sabia que me ia e toda a gente sabia que eu me ia. Este e sem dúvida o factor mais importante. Mas tambem a ha a excitacao de comecar uma nova etapa que, acredito seja ainda melhor que todas as que vivi.

Ganhei muito com o Programa Contacto. Conheci pessoas fantasticas que acredito vao continuar a fazer parte e a enriquecer a minha vida, passei por situacoes novas, conheci lugares novos, tive novos desafios, novas alegrias, novas tristezas. Enfim... vivi novas realidades, conheci novos mundos.

Tive tambem o gosto de partilhar algumas destas aventuras com quem tem interesse em conhece-las. Para isso surgiram estas Crónicas do Novo Mundo e o site de fotos. Inicialmente so para familia e amigos mais restritos, mas achei piada em alargar a um grupo mais alargado de pessoas – às pessoas que querem partilhar destas aventuras, as pessoas que, como eu, gostam de ler cronicas.

Bom, voltanto a partida, a minha partida de Buenos Aires.

A imobiliaria ja alugou o meu apartamento e durante estas semanas andei a mostrar a casa aos interessados... estranho... tao estranha que foi a sensacao real que ia partir. Sim, tem boa luz, os vizinhos sao sossegados, os ares condicionados funcionam na perfeicao... e sempre me saia um “voy a estranhar mucho este lugar, espero que lo desfruten tanto cuanto yo...”. Nao fiz alteracoes, esta praticamente igual a como o encontrei, ja ha muito retirei os pequenos toques pessoais..., as fotos, os livros, as velas, os cds... ja ha muito que me fui habituando a ideia.

E as pessoas, as despedidas... cada vez mais menos me sei despedir...

Pela frente umas nada merecidas mas muito cobicadas ferias. Sim, nada merecidas porque afinal a sensacao com que fico e que estive sempre em ferias. Nao, nao digo isto por nao ter trabalhado e por nao ter tido alturas de aperto, mas sim porque como fora do trabalho a descoberta e constante o sentimento com que fico e que estive sempre em ferias. Todos os fins de semana havia algo novo por fazer, alguma coisa nova por conhecer, enfim um pouco de turismo.

Com tudo isto o que posso dizer e que foram 9 meses MUITO INTENSOS. Parece que vivi tres ou quatro vidas! Tanta coisa sucedeu, tantos periodos diferentes, tantas descobertas, tantas sensacoes e emocoes, tanta coisa nova que se penso neste numero: “9 meses”. 9 meses parece-me pouco para tanta coisa! Uma eternidade. Ao que parece tambem fisicamente me alterei. Ja nao uso barbicha tipo mafioso, o cabelo cresceu, emagreci... com isto tudo quase que nao me deixavam entrar na Argentina quando regressava do Uruguai porque nao me reconheciam atraves da fotografia do passaporte que tirei ha um ano...

Ha mais uma coisa que me resultou interessante. Nao e nada de novo, mas nunca como agora percebi o alcance da net. O meu antigo mundo girou sem a minha presenca e muita coisa mudou e so quando regressar me vou aperceber da dimensao dessa mudanca, mas muita dessa mudanca pude observar ao vivo e a cores gracas a magia da internet como todas as suas web cams, fotos digitais, messengers, e-mails, blogs... Pessoas houve que se aproximaram, pessoas houve que se distanciaram, pessoas houve que partilharam fortes emocoes no momento em que sucederam apesar de estarem a milhares e milhares de kms de distancia... o PC tornou-se definitivamente o meu melhor amigo por ser o meio de contacto com uma parte tao importante do meu mundo..., porque o meu mundo esta espalhado pelo mundo.

Bom, mais nao digo porque estou de partida para uma viagem que nao e mais nem menos que um sonho de sempre. Vou ao encontro da cidade perdida, vou ao encontro da Cidade Sagrada do Imperio Inca – Manchu Picchu. Convido quer quiser partilhar desta aventura a manter-se actualizado no meu site de fotos. Estou de partida com um mochila as costas e com muitas alegrias nos olhar... alegrias por descobrir e que convosco quero partilhar.

Despeco-me com sinceros desejos que tudo esteja bem convosco em Lisboa ou, se for caso disso, em qualquer outra parte do mundo mundial.

Beijos & Beijos
Che Augusto

terça-feira, outubro 07, 2003
 
IV CRONICA DO NOVO MUNDO
Passaram sensivelmente oito meses desde que cheguei a esta bela cidade baptizada em 1536 por Pedro de Mendoza de Ciudad de Santa Maria del Buen Ayre.

Oito meses?!?! Tchiiiiiii...... como o tempo passa!!!

Desde a ultima cronica a minha vida argentina correu a uma velocidade alucinante. Foi o trabalho que o trabalho me deu, e deu trabalho o raio do trabalho! Foram os relatorios para o Icep. Foi o trabalho para o curso de web design, as aulas de fotografia, a noite de Buenos Aires, o convivio, as ferias no Rio de Janeiro, os Tugas que vieram de visita... bom a vida fluiu e o Inverno passou rapido como assim tem de ser.

Hoje vou mudar essa rotina... vou comecar pelo lado que se termina
Nao, nao e de Buenos Aires que tenciono falar primeiro, e do Rio de Janeiro. Pois e, saquei dez diazitos de ferias e fui ao Rio de Janeiro. Na cidade do Cristo Redentor fui acolhido pelo meu irmao Pedro (a fazer o 4 ano de Marketing no Rio), e nesta cidade celebrei as minhas 29 primaveras e ele as 24. Desde ja convido a verem as fotos no sitio do costume http://augusto.funtigo.com.

Adorei. Adorei. Amei. E dificil descrever o misticismo do Rio de Janeiro. Esta cidade musa de poetas e musicas imortais, esta cidade que viu nascer e crescer virtuosos da musica e que foi berco do Bossa Nova. Esta cidade que e a referencia do Samba, esta cidade que tem o Pao de Acucar e o Corcovado. Esta cidade que tem a praia de ipanema, a garota de ipanema, o maracana e o sambodromo. Esta cidade que nasceu, cresceu e vive em perfeita simbiose com a natureza. Esta cidade que respira alegria de viver e que come feijao com arroz para matar a fome e bebe agua de coco ou caipirinha para matar a sede... enfim, esta cidade que apaixona todos os abencoados que a visitam.

E apaixonou-me. Eu sei que foram so um par de dias, eu sei que quando sai de Buenos Aires chovia a potes e quando cheguei ao Rio estava um sol esplendoroso, eu sei que foram so uns diazitos de passeio em que apenas vi o “melhor”. Eu sei, mas, mesmo assim deu para sentir o vibrar da cidade. Sentir o que e uma cidade rodeada por praias fantasticas e calcadoes enormes, uma cidade que vive e convive com a natureza e em que o povo e relaxado e desinibido, conversador e afavel, irresponsavel e divertido... tudo joia meu irmao. Valeu cara!

Sinceramente dispenso o inverno. Dispenso a chuva e o frio e vento. Ok, sao essenciais para o ecossistema. Que existam, mas nao mais de umas semaninhas por ano. Ahhhh... Nada como fazer uma prainha no pino do inverno, nada como passear em Havaianas e calcao de banho nos meses mais frios. Nada, mas mesmo nada como despertar com a esplendorosa luz do sol a iluminar a casa.

Nao quero parecer ingrato para com a cidade que me acolheu. Eu sei que tenho a sorte de viver na cidade fantastica que e Buenos Aires, apenas fiquei deslumbrado com o Rio. Mais adiante falo de Buenos Aires e incluso no final pus o excerto dum artigo do Miguel Sousa Tavares que tao bem descreve a cidade. Acontece e que neste momento estou so mesmo com vontade de falar do Rio... e que me deixei apaixonar pelo cheirinho de Samba, Bossa, Sol e Praia de Ipanema.

Meu Brasil Brasileiro
So aqui na Argentina percebi a importancia relevancia e influencia do Brasil fora de fronteiras.

Acostumado que estou a indiferenca de outros povos para com o povo Tuga, surpreendi-me por estas paragens a resposta “sou portugues” tem uma reaccao muito positiva.

Ao longo das minhas viajens habituei-me e conformei-me com a insignificancia portuguesa no mundo, execpcao feita aos feitos futebolisticos do Figo e companhia limitada. Lembro de na Hungria ou Inglaterra a resposta a “Sou portugues!” ser um vago “ahhhh.... ok...”. Assim um “ahhhh... ok....” como quem diz “ahhhh.... ok... ponto final”, isto e: fim de conversa. Acho que nao vale a sequer a pena comentar a opiniao que os nuestros hermanos ou franceses ou os alemaes ou os nordicos tem de nos.... ja e mais que sabido que ou nao e nenhuma ou e ma...

Nos sabemos os nossos feitos e sabemos o fervilhar de acontecimentos(vide caso casa pia...) que e a nossa vida enquanto nacao, mas o facto e que com Portugal so se preocupam os Portugueses. O que, diga-se, ja nao e nada mau!

Bom, alguma coisa esta a ser feita no sentido de melhorar a imagem de Portugal alem fronteiras – obrigado Icep pela papel de embaixador que me atribuiste. Nao sei se serei a pessoa mais indicada para esta tarefa por nao me considerar nada representante do portugues medio (eu nem gosto de caracois!), mas aparte disso espero corresponder ao que se espera da tarefa.

Pois bem, ca na Argentina quando digo que sou portugues normalmente recebo como resposta a pergunta “Portugues de Portugal ou Portugues de Brasil?” Bom, pode variar, mas o facto e que ao contrario de ser “fim de conversa” e, pelo contrario, motivo de interesse e de conversa. Penso que tal deriva de dois motivos.

O primeiro e a predisposicao natural para a conversa dos Argentinos. Alguma vez vou fazer o teste “Sou da Quirquizia” e esperar pela reaccao. O segundo deriva da fama e influencia do meu povo irmao. O brasilero e considerado uma pessoa divertida, simpatica e conversadora, e que baila bem. Se em relacao as primeiras caracteristicas cumpro com o esperado, e neste ultimo particular que se torna evidente que sou Tuga.

A minha patria e a minha lingua
Em primeiro lugar, devo dizer que se a coisa que me transtorna e ouvir um portugues dizer “Eu nao gosto dos Brasileiros”. Antes de mais, e uma generalizacao e, como todas, ridicula, mas o que me transtorna mais nao e isso.

Considero o Brasileiro meu irmao. A minha patria e a minha lingua, a lingua de camoes. O que me faz irmao tanto de cabo verdiano, como de um brasileiro, como de um alentejano, como de um angolano. E a minha patria e a lingua de camoes enquanto eu nao me conseguir expressar tao naturalmente e bem noutra lingua para alem do portugues... quica algum dia o possa fazer na lingua de cervantes...

Nao me sinto portugues no sentido fundamentalista, alias, nem sei ate que ponto e importante para mim ser portugues. O que me faz portugues? O local de nascimento? Se assim fosse seria angolano. A nacionalidade dos meus pais? Se assim fosse teria duas nacionalidades. O local onde estou, estive, cresci, estudei, estive mais tempo? O que faz Portugues um emigra que saiu de Portugal aos 15 anos e vivei ate aos 55 em Londres? O que me faz portugues e o que nos faz a todos portugueses?

Nao sera isto de ser portugues apenas uma ideia que, de alguma forma, que serve para abstratamente transmite alguma seguranca, algum sentimento de pertenca? Nao sera o hino um simbolo, a bandeira um simbolo e nao serao ambos uma representacao de algo que eu nao sei bem o que e? Sera que me revejo nos governantes, sera que estes expressam a minha vontade, a vontade do povo? Sera que me identifico com a cultura portuguesa? Sera que satisfaz este pertencer a um grupo de pessoas com um espaco e normas e alguma linhagem em comum?

O que e um facto e que isto de ser portugues – isto de ter uma nacionalidade - esta tao enraizado no nosso ser que parece inato, algo inquestionavel. O que e facto e que isto de ter uma nacionalidade, pertencer a este grupo a que chamamos pais desperta paixoes e odios, gera gerras e disputas... pela patria tudo e permitido, pilhar, roubar, matar...

Bem sei a importancia dos primeiros anos de vida, da cultura, das tradicoes, da educacao. Mas tambem sei das capacidade do ser humano de evoluir, de crescer, se aprender, de se modificar e de nao se deixar prender a ideia e conceitos vazios. Ok, sou culpado, torci pelo Real Madrid quando jogou contra o FC Porto, mas, a verdade e que tenho muito mais simpatia pelo equipa Madrilena e o FCP, apesar de ser uma excelente equipa, nao me suscita nenhuma simpatia. Devo torcer unicamente porque e uma equipa portuguesa?

O que e isto de ser portugues que me obriga a torcer pelo FC Porto, arrotar, cuspir para o chao, falar alto e com muitas caralhadas, comer tremocos e caracois, ter uma patroa e beber muita Sagres e ter bigode. Tambem me interrogo se alguma vez estaria disposto a disponibilizar a minha vida numa guerra, a matar ou morrer por esse sentimento de pertenca de fraternidade e amor a uma ideia abstrata.

Nao. A resposta e um redondo nao... agora se me perguntam se alguma vez vou deixar de torcer pela seleccao das quinas em qualquer campeonato... tb digo que nao... e que afinal gosto deste sentimento de partilha de algo, mesmo que esse algo seja infundamentado, ridiculo e abstrato... biba portugal carago. Viva o FCP caralho, viva esse grande homem que e o Andre! Viva a sagres e o nosso marisco preferido: o tremoco!

Bandeiras Ceu e Sol
Todos devem ter uma ideia da bandeira da Argentina. Umas faixas azuis claras e outras brancas com uma bolinha amarela no meio, rings a bell? Pois bem, essa faixas celestes e brancas representam o ceu e no meio, bem no meio a bola amarela e um sol radiante, com raios e tudo! Conta a historia que quando os Paellas vieram colonizar estas paragens, olharam o ceu e criaram a bandeira. E bonito, nao acham?

Tou a imaginar a do Brasil, como havera surgido? Bom, uma coisa e certa, devem ter-se engano quando escreveram “Ordem e Progresso”... acho que nunca passou de uma manifestacao de vontades. O mesmo se passou com o “Et Pluribus Unun” a bela frase que esta inscrita bem no centro da bandeira vermelha e branca, mesmo em baixo da aguia na bandeira do Benfica... tambem aqui nunca passou de uma manifestacao de vontades.

Quanto a bandeira Portuguesa, fiz um esforco de memoria, tentei lembrar-me das aulas de historia; consultei sites; fiz pesquisa na net... e nada, continuo sem saber qual a origem da bandeira portuguesa. Verde e grena porque? Alias, sera mesmo grena ou encarnado a tirar pro bordeux? Lembro-me de uns castelos, de uns escudos e de umas quinas... mas nao sei qual a sua razao de ser... alguem me pode ajudar? Alguem pode ajudar este embaixador da cultura portuguesa no exterior a saber a razao de ser da sua bandeira?

Fado Vadio
Ja que tamos numa de simbolos nacionais, lembrei-me de um dos nossos simbolos por excelencia. O Fado. Todas as novas geracoes tem repulsa ao tradicional. Ainda bem que assim o e porque e assim que a cultura se reinventa. Aqui na Argentina aprendi definitivamente a apreciar o Fado. Estranho, nao e? Nao, nao sao as tao famosas Saudades, nao e o saudosismo da vida Lisboeta – sim que tenho Saudades, mas nao e o Fado que me reconforta. Aprendi a gostar de Fado por duas razoes.

A primeira e uma questao de logica/coerencia. Ora bem, se eu adoro o Tango em geral, gosto do Samba (musica folclorica do interior Argentino) e amo o Bossa Nova tambem devo gostar de Fado. Paso a explicar. Qualquer um deste tipos de musica sao musica de raiz tradicional e nao tem adeptos entre as novas geracoes. Normalmente os jovens acham que e coisa de cotas, coisa de outros tempos - outros tempos anteriores aos telemoveis e a net e, talvez mesmo, tempos anteriores a propria tv, ou e uma musica que lhes entrou pelos ouvido deste sempre e que a que nunca prestaram atencao... Pois estes argumentos ja foram meus e, como muita gente, cresci com aversao natural ao Fado, mas, se ja em Portugal me vinha habituando a ouvir o Fado, principalmente Fado Vadio no Bairro Alto, aqui a Cristina convenceu-me definitivamente.

A Cristina? Sim, a Cristina Branco! Fadista portuguesa de nova geracao que veio tocara Argentina gracas ao amavel convite da embaixada portuguesa, por ocasiao do 10 de Junho, dia de Camoes, de Portugal e das Comunidades. Tive entao o prazer de assistir a um espectaculo que, visto o mais possivel despido de preconceitos, foi simples maravilhoso. Uma linda voz, a linda guitarra portuguesa tocada por um dos seus melhores interpretes – Custodio Castelo, versos portugueses portuguesinhos de Camoes, David Mourao Ferreira, Fernado Pessoa, Maria Duarte... Para alem de um deleite foi um orgulho.... desculpa la o Figo, ate es um gajop porreiro, mas nao chegas aos calcanhares da Cristina, isto para nao falar da Teresa Salgueiro ou do Pedro Ayres Magalhaes.

Musica, musica!
Ja gostava de Tango antes de vir para a Argentina (gracas aos Gotan Project) e ca foi fantastico descobrir autores e a historia. Carlos Gardel e o grande interprete do Tango. Tango e Gardel sao sinonimos. Piazzola toca acordeao e a referencia internacional como compositor, mas gera controversia para os mais fundamentalistas (alterou um pouco o ritmo do Tango classico, de tal forma que raras sao as musicas dancaveis). Mais concensual e o Oscar Paiglesse. Hector Salgado e a referencia ao Piano, as orquestas classicas como a Camarata Portena e, mais recentemente Hugo Diaz - interprete de harmonica sao tambem obrigatorios para quem gosta do Tango. Para alem destes, ha a Mercedes Sousa, uma verdadeira diva da musica tradicional argentina, musica do povo, musica de intervencao tipo festa do avante. Bom chega de musica. Chega de musica porque nao tarda comeco a falar de musica Brasileira (sim pq esta cronica cheira a Brasil)... ainda comeco praqui a falar de Bossa Nova, do Vinicius, do Joao Gilberto, da Elis Regina, do Tom Jobim... e nunca mais me calo.

Dancar o Tango e que e Tanga...
Eu tentei, garanto que tentei... no total foram 5 aulas, 5 semanas consecutivas em aulas de tango. Adorei. Gostei do professor, da turma, do meu par e do ritual de comer um pancho no Peter’s depois da aula, mas o Samba estragou tudo. Depois das ferias no Rio perdi o animo para o Tango...

As aulas confirmaram algumas coisas que eu ja sabia. E um baile elegante, sensual e cativante. Os passos sao cuidadosamente desenhados por forma a que nunca se perca o supless. O Homem comanda completamente a danca a mulher segue consoante as “marcas” que o homem faz, isto e, enquanto danca o homem vai com a mao e marcando na mulher o que ela deve fazer... nao nao e a brincar, e mesmo verdade!! E quando bem feito resulta... hihihihi. Nao e que se fizer uns circulos abaixo da omoplata e simultaneamente pressionar levemente a dama faz um “ocho para delante”? E se delicadamente puser lateralmente a mao no abdomeno ela faz um “ocho para tras”? Tem piada, muita piada, parece que se esta a montar um cavalo, fazem-se os sinais e o animal obedece, hihihihi.


El Viejo Almacen
El Viejo Almacen foi o responsavel pela minha reconciliacao com Buenos Aires apos Rio de Janeiro. http://www.viejo-almacen.com.ar/

Vir a Buenos Aires e nao ir ao Viejo Alrmacem sera o mesmo que ir a Paris e nao ver a Torre Eiffel, ir a Roma e nao ser atropelado, ir a Nova York e nao ver as Torres Gemeas destruidas, ir a Budapeste e nao tomar um banho Turco no Gellert... ir a Lisboa e nao ir ao Colombo, ir ao Rio e nao ser Assaltado.... ir a Amsterdao e nao ir a uma Coffee Shop fumar droga, ir ao Porto atravessar a porto D. Luis a pe, ir a Russia e nao beber Vodka, ir a Marrocos e nao negociar, ir ao Tibete e nao levitar... bom, chega de comparacoes disparatadas e voltemos ao Viejo Almacen. O lugar e pequeno e intimista, mantem a decoracao e todo o ar dos anos 60. O lugar e do seculo XVIII comecou por ser, quem diria, um armazem, depois foi um hospital, alfandega, de novo armazem e, desde 1969 que e um lugar que se orgulha de ja ter assistido aos melhores interpretes no palco e das mais altas individualidades na plateia.

O espetaculo em si inclui um bom numero da enorme variedade de varios estilos que constituem o Tango. Ha uma orquestra com piano, dois violinos, dois bandoleones (acho que e realejo que chamamos a este instrumento) e um contrabaixo que esta do inicio ao fim do espetaculo. Intercaladamente ha quatro pares de dancarinos que dancam quer cada um a vez, quer em conjunto; e cantores que a espacos interpretam temas com voz. Ha momentos em que somente a orquesta toca. O espetaculo e sublime, nao vou entrar em pormenores porque me faltariam as palavras para descrever o show, apenas, volto a dizer, e um espetaculo absolutamente imperdivel.

Inicio da Cronica
Agora, sim, vamos ao que seria a parte inicial, partilhar um pouco da minha vivencia nesta mundo que continua a ser um novo mundo para mim.

Passaram os 8 meses e a maioria das coisas ja nao sao novidade. Algumas das coisas que tinham piada no inicio ja nao lhes acho tanta graca... aquilo que me perturbava um pouco ao inicio agora parece-me insuportavel... enfim tudo o que era novidade e ilusaoa chegada neste momento e o meu dia-a-dia. Bom, terminou o estado de graca da paixao e agora vivo um relacionamento estavel com a Buenos Aires. E esta a visao que posso neste momento transmitir: o dia a dia em Buenos de um emigra.

Vejamos um exemplo: a humidade. Buenos Aires tem uma humidade media superior a 90 porcento, ie, o ar praticamente e agua. Quais as consequencia disto? Quando esta frio fica ainda mais frio... se lhe juntarmos a arajem fresca que vem da Antartica temos o que realmente se pode chamar de “um frio de rachar”. No verao, em contrapartida, ao calor a humidade acrescenta a sensacao de abafado, um bafo quente que nos faz sentir numa sauna. Para dar uma ideia, ao terminar um banho de agua fria nao e necessario enxaguar e comeca-se a suar enquanto se esta a vestir... o normal e estar-se constantemente pegajoso.

O que tambem se altera muito com a humidade e o meu cabelo que se ja e rebelde por natureza com a humidade torna-se indomavel, selvagem... como eu gosto! Mas, para mim a mais indesejavel das consequencias e mesmo acitar as alergias. Esta estufa e um paraiso para os acares e um terror para os meus pulmoezinhos... quer no inverno quer no verao, quer no outono quer na primavera estou constantemente alergico. As consequencias foram que finalmente comecei um tratamento definitivoa asma e diminui bastante o consumo de nicotina... um maco chega-me para uma semana.

Quem em definitivo agradece a humidade e a flora. Mesmo em plena cidade e incrivel a beleza dos jardins, o conjunto de cores das plantas, a facilidade com que tudo floresce. Vamos la ver se a cannabis e os girassois se dao bem na minha casa... se nem aqui eu conseguir dar vida a umas sementes definitivamente dedico-mea pesca (uma actividade deveras interessante).

Cursos, curso e mais cursos
Por falar em actividades interessantes... se ha algo que considero de louvavel nos argentinos em geral e a aptidao e avidez que tem pelo conhecimento.

O Argentino e curioso, gosta de saber mais. Claro que muitos ha que nao passam de cuscos, ie, querem saber mais por preversidade tipo “talk show”, mas muitos outro querem saber mais para satisfazer a fome intelectual.

Proliferam por Buenos Aires cursos, os mais variados cursos. Desde a cursos de acupuntura a curso de piano, passando por cursos de tarot, de culinaria, de danca, de futebol, de yoga.... e por ai em diante. A ideia que se fica e que qualquer coisa que tenhas vontade de aprender ha alguem disposto a te ensinar. Ao mesmo tempo existe um incrivel numero de actividades em grupo, tipo grupos de teatro, grupos de relexao sobre o eu, grupos de musica, grupos de danca. A juntar a isso estao os diversos ginasios, escolas e instituicoes com o mais variado tipo de actividades. E as pessoas aderem!

Com isto tudo o que acontece e que as pessoas acabam por ter uma vida bastante activa, interessante e preenchida. As pessoas querem socializar, querem aprender, querem se divertir, querem manter a mente alerta, o corpo atraente...

Claro que muita gente prefere ficar em frentea televisao a carregar nos botoes do telecomando como quem telecomanda alguma coisa... obvio que sim. O que me parece interessante e a vontade que as pessoas tem de sair, de aprender de socializar, de viver! Estas sao as virtudes que muitas vezes faltam ao Tuga. Para o Tuga ser jovem e uma coisa que se e enquando se estuda. Apartir do momento em que se comeca a trabalhar terminou essa vida e ser jovem nao e mais que uma cada vez mais tenue recordacao. Se ha coisa que me fascina e uma pessoas adulta com espirito jovem, com vontade de aprender, sede de viver e fome de conhecer de um teenager inconsciente, mas com responsabilidades, maturidade e atitudes de “gente crescida”. Sim, e possivel.

Patria Familia e Fado
O Argentino aprendeu a contar com ele. O Argentino nao acredita no destino (que ja lhe passou diversas rasteiras), nao acredita em politicos (e com razao! Voces alguma vez confiariam num Menem??) e nao acredita que Deus por algum motivo lhe vai oferecer alguma benesse especial. O Argentino acredita em si e acredita no trabalho (atencao que roubar ou enganar tambem e trabalho, hihihi).

O Tuga e exactamente o oposto. Se vai abrir uma empresa espera pelo incentivo do Estado. So compra casa com o apoio jovem. Tem um incendio no quintal fica a espera que o Estado de um subsidio por calamidade publica. So faz obras em casa no ambito do programa da Ebhal. Para fazer um file espera pelos fundos do ICAM, se tenho um qualquer grupo de teatro quero que o Estado me deu um espaco para ensaios e espetaculos.... e por ai fora...

O Portugues, afinal de contas nunca ultrapassou o Salazarismo. Vive constantemente a contar com o Estado Paternalista e encerrado em casa porque o Salazar nao deixa sair, nao deixa socializar.

Bom, mas isto tudo veia proposito dos espectaculos “a la gorra”. Gorra quer dizer chapeu/gorro, e um teatro “a la gorra” e um espetaculo gratis mas em que quem quiser contribuir contribui (poe dinheiro na gorra). Para mim esta e uma das essencias da cultura. O artista nao pensa na retribuicao e quem e impactado pela obra e sente que o dinheiro e mereciso sente-se impelido a pagar o que considera justo. Nao ha ca subsidios nem facilitismos ou clientelismos.... o artista oferece a sua arte e quem se sente tocado por ela participa com o apoio que todos precisam: dinheiro.

Normalmente estes espectaculos sao apenas as sextas e sabados e domingos porque na, realidade, a grande maioria destes artistas tem outro emprego, tem o emprego que lhes permite pagar a casa a comida, a roupa ou medico para os filhos.

Ahhh...... a tristeza que e ver o Jorge de Silva Melo e os Artistas Unidos pedincharem e fazerem figura de tristes porque a camara decidiu que tinha de passar a pagar renda n’O Espaco a Capital”.... Em relacao ao cinema, eu nem imagino o que teria sido feito ca na Argentina com o dinheiro que foi desviado pelo Joao Cesar Monteiro para diversao dele e de mais meia duzia de perturbados como ele...

Bom... fico-me por aqui que esta cronica ja vai mais que longa.

Muita coisa ficou por contar desta linda cidade, cheia de vida e caracter que e Buenos Aires. Espero ter cumprido o objectivo a que me propus desde a primeira cronica: apresentar-vos esta bela cidade vista pelos olhos de um viajante diletante e, cada vez mais, cidadao do mundo mundial.

Restam-me agora tres semaninhas ate terminar o trabalho na Finca Flicham e ficar livre! Depois tenho 7 semanas ate ao Natal para deambular pela America do Sul: partir de Buenos Aires em direccao a Santiago do Chile e comecar apartir dai a subir a costa Pacifica ate ao Equador e depois regressar a Buenos Aires pelo interior. Stay tooned! Prometo manter o site com fotos (http://augusto.funtigo.com) vivo e bem vivo e escrever cronicas. Preparem-se para conhecer mais um pouco da Argentina, e um pouco do Uruguai, Chile, Peru, Equador e Bolivia!

Despeco-me com sinceros desejos que tudo esteja bem convosco em Lisboa ou, se for caso disso, em qualquer outra parte do mundo mundial.

Beijos & Beijos
Che Augusto
La Revancha del Tango


PD: Excerto de um artigo de Miguel Sousa Tavares sobre Buenos Aires no Publico de 04/07/03
“Buenos Aires e uma cidade que nos reconcilia com a condicao urbana, que nos lembra que as cidades podem ser construidas para o servico dos homens e que nos ensina que a dimensao e a beleza sao conciliaveis, a monumentalidade e a escala humana podem conviver juntas, os servicos e o comercio podem-se conjugar de forma perfeita com o prazer e a arte de viver uma cidade. Ao contrario, por exemplo, do Rio de Janeiro, cujo enquadramento paisagistico natural nao tem paralelo no mundo, Buenos Aires nao dispoe de trunfos naturais: nao tem costa maritima, nem um rio digno desse nome, nao tem lagoas, nem enseadas nem montanhas, enquadrando-a. Nao ha um Cristo Redentor a quem dar gracas por tanta fortuna. Aqui, tudo e obra dos homens e nada e acrescento divino. E uma cidade feita por homens e para os homens viverem. Por homens visionarios e arrojados que ousaram pensar grande, que construiram a mais antiga e ainda hoje a maior e mais bonita opera de todas as Americas - o Teatro Colon, decorado com marmores de Carrara e de Estremoz -, que secaram pântanos para plantarem os mais fantasticos jardins publicos, que os semearam de uma profusao de estatuas de pedra e de bronze (tantas que, quando ja nao havia mais herois nacionais para representar, foram dedicadas a Mozart ou a Verdi), que deitaram abaixo quarteiroes inteiros para rasgarem algumas das mais largas avenidas do mundo (a 9 de Julho e mesmo a mais larga do planeta), que, de um canal vindo do Rio de La Plata, criaram umas maravilhosas docas de pequenos edificios de tijolo vermelho, ao servico do comercio, dos bares e restaurantes e da marinha de recreio, em pleno coracao da cidade.

Em Buenos Aires convivem harmoniosamente os pequenos bairros populares antigos, territorio do tango e de uma certa rufiagem cativante, com os quarteiroes de arranha-ceus, sobrepostos por decadas sucessivas de arquitectura futurista, desde os anos 20 atea actualidade (foi a primeira cidade da America Latina a erguer um arranha-ceus, a primeira a escavar um metropolitano, em...1910!). Convivem a zona tradicional de comercio da "Baixa" com a zona de servicos e escritorios, a zona de edificios publicos em volta da Praca de Mayo e da Casa Rosada com as magnificas zonas residenciais, como Recoleta, com a sua profusao de antiquarios, galerias de arte, livrarias (abertas atea meia-noite!) e, em cada esquina, o seu cafe, que e um verdadeiro cafe, local de estar, de ver e de conversar, sem formicas, nem aluminios nem plasticos, mas sim moveis de madeira antiga, tampos e balcoes de marmore, fotografias gastas pelo tempo, homenageando os antigos frequentadores, de Borges a Fangio, de Gardel a Peron (e, de cada vez que pedir uma simples "bica", saiba que ela vem sempre acompanhada por um copo de agua com gelo, dois biscoitos e um guardanapo de papel espesso). Por isso tambem, em homenagema influência inglesa, Buenos Aires tem ainda, nao na periferia, mas em pleno centro, milhares de hectares de relvados e jardins publicos a perder de vista, com três hipodromos, dois estadios de polo, "country clubs", campos de futebol, de tenis, picadeiros e escolas de equitacao, percursos pedonais, para cavalos e para ciclistas, jardins infantis e jardins japoneses, jardim zoologico e jardins para passear caes, marinas e ate um aeroporto para voos internos em pleno centro. E todas estas zonas - a comercial, a de servicos, as residenciais e as de lazer - nao funcionam por territorios estanques, mas sim interligados, integrados uns com os outros, de modo que nao ha zonas desertas ou abandonadas conforme os horarios, antes uma cidade que e habitada, vivida e desfrutada na sua totalidade.”



segunda-feira, maio 19, 2003
 
Adiciona aos Favoritos
 
III CRONICA DO NOVO MUNDO
veja as fotos em www.funtigo.com/Augusto

Passaram 4 meses desde que cheguei a esta bela cidade baptizada em 1536 por Pedro de Mendoza de Ciudad de Santa Maria del Buen Ayre. Destruida pelos aborigenes e fundada novamente por Juan de Garay en 1580.

Tenho de reconhecer que foi um parto dificil, mas estao reunidas as condicoes para me sentar um pedaco a escrever a terceira cronica do novo mundo: e domingo, chove, faz um frio de rachar e estou com uma ressaca que me limita a mobilidade, bem como a racionalidade. Aqui vai disto:

Politica e copos
Antes de mais, gracias Carlos Menem por teres desistido da segunda volta das eleicoes presidenciais e assim me teres permitido sair ontem.

Sim, por aqui, ao contrario do que, segundo nos relata o Elfo, se passa na Finlandia, as eleicoes nao passam de forma alguma despercebidas. Muito pelo contrario! Sao motivo de conversas empolgadas, a cidade esta impregnada com propaganda politica e os meios de comunicacao seguem ao pormenor os passos dos candidatos. Ate aqui mais ou menos normal. O que ja nao e normal e que das 24h do dia anterior a votacao ate ao encerramento das urnas seja PROIBIDO VENDER BEBIDAS ALCOHOLICAS, BEBER EM LUGARES PUBLICOS OU APRESENTAR INDICIOS DE ESTAR ALCOHOLIZADO.

Nao deixa de ser piada recorrente que “nem assim os Argentinos votam bem”. E ja votam desde 1983, aquando do fim da avassaladora ditadura militar. Quanto a mim, fiquei revoltado por me ser vetada de forma tao liminar a possibilidade de beber num sabado a noite... menos mal que aqui os governos sao por 5 e nao 4 anos. Nao e que me preocupe nao beber, o que me apoquenta e nao ter a liberdade de poder ou nao beber.

Ja saberao certamente que amanha entra em funcoes o novo governo de Kirschner por desistencia do seu opositor Menem (por causa da desistencia nao ha votacoes e pude ir pros copos ontem... hehehe). Na primeira volta os 5 principais candidatos, que representam o expectro politico, alcancaram votos entre os 17% e os 24%. E evidente a grande reparticao politica. Os dois primeiros foram entao a segunda volta, mas o Menem desistiu, e sabem porque? E que o Menem e um pouco como o Benfica: ou se e a favor ou se e contra. Todos os que nao votaram Menem iriam votar Kirschner e, para evitar uma avassaladora derrota, o cota (ja a caminho dos 70 anos, dissimulados com constantes operacoes plasticas) desistiu.

Nas discussoes politicas com locais tento sempre abster-me de opinar, mas posso dizer-vos que, para mim, “do mal o menos”. Kirschner, juntamente com Lula (os dois paises mais importantes da america do sul) querem avancar com o Mercosul com o objectivo de criar um segundo espaco politico/economico forte no continente americano. O Menem baixa as calcas e oferece o rabinho ao Bush filho, como o fez ao Bush pai. Por isso teve uma avassaladora e muito bem montada campanha de marketing subsidiada pelos yankies colonizadores. Felizmente nao conseguiu lubridiar o povo que, afinal, sempre aprendeu alguma coisa nestes 20 anos de democracia.

Como dizia, foi um parto dificil. Passaram 4 meses e ja se foi o efeito novidade e o sentimento de descoberta constante. Se bem que a vida e uma constante descoberta, ja nao me sinto um diletante viajante mas um cidadao escravo do trabalho e respeitador das normas e regras socias mais evidentes. No entanto, para nao tornar isto muito introspectivo e sem interesse, vou partilhar convosco algumas das muitas particularidades da cidade mais europeia da america do sul.

Conduzir em Buenos Aires - esquece o codigo da estrada e aperta bem o cinto
O maior surto de imigracao argentina veio da Italia. Esta heranca e por demais evidente na conducao. Os linhas, tracos ou sinais que a muito custo, e com muito boa vontade, se conseguem identificar como “sinais de transito”, definitivamente nao cumprem a sua funcao. Os UNICOS sinais que se vem e, mais ou menos, se cumprem, sao os semaforos. E nao e dificil perceber porque...

Um dia reparei que, quando parava no transito, um jovem taxista lia algo que se assemelhava a um codigo da estrada. Nao me contive e perguntei a medo, – estas a estudar para o exame de codigo? Ao que ele me respondeu que nao, ja tinha a carta e que para isso nao era preciso estudar (nao e preciso estudar!?!?). Perguntei-lhe entao porque lia o codigo.-“E que isto e giro e descobrem-se coisas engracadas”. Nao quis investigar mais porque reciei uma resposta do genero “ve la que no outro dia descobri que se tem de parar quando a bolinha nesses cabos electricos a beira da estrada esta vermelha”...

- Acho que a minha carta de Portugal nao serve ca. Comentei um dia com um local.
– Ai sim? Inscreve-te numa escola de conducao e em tres dias tiras a carta... se pagares um pouco mais nem tens de fazer exames.
- O que?? Nao fazer exames??Tres dias?? Eu demorei dois anos a tirar a carta!!!
- Dois anos?? Eu tirei em DUAS horas, esta cena dos tres dias foi coisa do anterior governo. Antes era tudo no mesmo dia...

Ao comprar a bicicleta quis saber como funciona afinal isto das regras de transito. Fui prontamente informado que “as regras de transito nao sao para veiculos de duas rodas”. Ok! Nao e preciso repetir. Ele e ruas em sentido contrario, passar vermelhos, andar em passeios e incluso em frente a policia e NINGUEM ESTRANHA E NINGUEM SE CHATEIA.

Pessoalmente isto nao me perturba nada. Ate agora so vi um acidente e a julgar pelo adiantado da hora foi resultado do alcohol, mas nunca ninguem o sabera porque a policia nao mede o alcohol... o Corone registou o evento com uma das ja famosas fotos EHHHHH!!! com o acidente em pano de fundo. Ainda estou a espera de ver a dita... se calhar “voou do 9 andar pela windowsXP” e esta a “borbulhar formatacoes tepidas de discos fantasmas no fundo da piscina do vizinho – o que maravilha as criancas do morro em frente”sic.

Las Piedras Rolantes(1)
Quando cheguei, pela minha forma de falar e pela minha aparencia, pensavam que era da america central.... o mais normal era pensarem que era Colombiano ou Dominicano ou algo que o valha. Agora toda, mas toda a gente me julga Brasileiro depois de meia duzia de palavras. Os/As mais interessados perguntam de que parte do Brasil sou. Sou Portugues, digo orgulhoso. Ahhh portugues... que giro!.. E isso e no norte ou no sul do Brasil??

Superadas as dificuldades inicias com o idioma com um curso intensivo... surgiram outras dificuldades dificeis de superar com cursos...

- Qual e o teu mail?
- augustofer@yahoo.com
- a-u-g-u-s-t-o-f-e-r.. arroba... e o que vem depois?
- Yahoo.com
- IA o que?
- Yahoo!..., nao conheces????”
- Nao. Como e que isso se escreve?
- Y-A-H-O-O.
- ...Deixa ver... Humm.. Ahhhh: ...JAUU!!!!

Pois entao o meu mail passou a ser augustofer@jauu.com. Sim, porque esquece dizer o mail do contacto. “FernandeSS, com S e nao com Z..... contacto tem um C antes do T.... nao nao, 6 e nao SEIS... ICEP e com I latina e nao I grega.... nao, com um C e nao um S... nao C C... C e nao Z....nao, nao o C...C, o S era para FernandeS... braaahhh....esquece. O que e que bebes???

Claro que algumas vezes se pode obviar isto tudo com uma saida a 007. “Fernandes, Augusto Fernandes”. E lentamente levo a mao ao bolso interior do casaco e retiro o cartao do ICEP. Com um sorriso no canto da boca estendo a mao com o cart?o. A presa recebe-o agradecida. Pergunto-lhe se bebe alguma coisa. “...Uhmm.. um Baileys, quero-me deixar guiar pelo instincto...” diz-me convidativamente. Chamo o barman e digo-lhe. “Para a dama um Bayleys... (ele pisca-me o olho... deve saber da cena do instincto) e... para mim um whiskey... um Juanito Caminante Etiqueta Roja”.

A Argentina surpreende tambem culturalmente. Por um lado esta completamente massificada pela cultura dominante – a americana, tal como a maioria do mundo civilizado (cada vez me custa mais chamar a este o mundo civilizado.... mas ok). Esta completamente up-to-date fruto das Internets, dos JAUU!s, das MTVs das CNNs, dos MacDonals, das Nikes, das Playstations e ai por em diante.

Ao mesmo tempo, existe uma grande parte “intelectual” que procura estar a par do que se faz no mundo para alem do mainstrem. Bibliotecas, livrarias, cinemas independentes, exposicoes de pintura, escultura, teatro, ballet, arquitectura, opera... um sem numero de oferta de fazer inveja a qualquer uma das grandes capitais europeias. E nada de isto seria de esperar num pais da america do sul.

No entanto... e coexistindo com estes dois mundos, existe uma parte caricatica. Um dos meios de transmissao de cultura mais imediatos e, sem duvida, a musica. Se, por um lado, as top charts sao quase copias dos EUA... por outro, os grupos preferidos dos argentinos sao... os grupos dos 60s, 70s e 80s!! E incrivel e desconfio que isto nao e mais que uma estrategia das grandes multinacionais de continuar a vender discos antigos.

Os grupos mais em voga sao os Stones e os Beatles, Pink Floyd, Led Zepling, David Bowie, Madonna.... e depois ha o grande salto para as Shakiras, os Eminem, as Britney Spears... e por ai em diante. Ate agora a explicacao mais convincente foi “somos muy nostalgicos”. Acredito e, diga-se, as vezes e bastante mais agradavel ouvir um good oldie que alguma da muita merda pouco imaginativa que se faz hoje (fogooo, pareco um cota!!).

Che Augusto na Argentina
Bom, agora, e para os que resistiram ate aqui... vou entao falar um pouco de mim. Ja passaram 4 meses e mantem-se a relatividade do tempo... as vezes parece uma eternidade e as vezes parece que o tempo passou num apice.

Comeco pelo trabalho. Mantem-se o grau de interesse e aprendizagem nulo. Quanto a aprendizagem..., algo sempre se aprende (ou nao fosse a vida uma constante aprendizagem)... mas nao podia estar a aprender mais qualquer coisinha? Quanto ao grau de interesse... para alem de, na realidade, nao haver muito para fazer, depois de 4 anos de marketing comeco a desconfiar que a cerne da questao esta mesmo na tematica. Interessante ao inicio mas depois muito repetitiva. Portanto: venha a xeta e o resto que se lixe que a vida nao e so trabalho!!

E vida nao e mesmo so trabalho! Se ha coisa que e barata (pelo menos para quem tem euros) e a cultura, a diversao e... cursos. Estou completamente viciado em cursos em que possa aprender algo um pouco diferente de “Gestao e Administracao de Empresas”. Cinema, Wed Design, Fotografia, Teatro... you name it... they have it… and I apply to it!

O futebol continua a ser a minha forma priveligiada de libertar a tensao acumulada enquanto nao faco nada de interessante em frente do computador. Como jogar a bola implica mobilizar mais nove bacanos... estou tambem inscrito num ginasio (“estar inscrito” e “ir” sao duas coisas distintas). Tudo para que nao fique com rabo de cadeira e cara de monitor. Bom, vou mas e despachar isto que ja sao sao quase 19H... nao, nao e hora de missa, e hora do jogo de fim de semana!!

De resto, e com tantos cursos e jogos de bola, fico com pouco tempo “livre”. Costumo ir ao cinema, de vez em quando surge um jantarzinho e uma voltita durante a semana e, all naite longue, SO SAIU UM dia por semana... Saturday! Saturday e dia de ir pra naite curtir! Tenho poucos mas bons amigos e amigas. Tasse bem. No entanto, as saudades de Lisboa sao uma constante e as lembrancas das pessoas queridas convivem comigo aqui em Buenos Aires, como em qualquer parte do mundo em que esteja.

Aproveito para relembar que no site: http://augusto.funtigo.com/ estam fotos minhas em constante actualizacao e que em http://cheaugustonargentina.blogspot.com/ estao as cronicas.

Despeco-me com sinceros desejos que tudo esteja bem convosco em Lisboa ou, se for caso disso, em qualquer outra parte do mundo mundial.

Beijos & Beijos deste vosso amigo,
Che Augusto
La Revancha del Tango

(1) - Rolling Stones
(2) - Johnny Walker Red Label
(3) – historia ficticia e nada timbre de Che Augusto na Argentina (ou onde quer que seja)


quinta-feira, abril 10, 2003
 
II CRONICA DO NOVO MUNDO 26 Marco 2003
veja as fotos em www.funtigo.com/Augusto


Prometi voltar a escrever depois de dancar Tango. Como o prometido e de vidro, ca esta a parte II da Cronica do Novo Mundo. Quanto a fotos, so ontem recebi a maquina fotografica e por isso apenas tenho uma foto para mostrar: a da minha casa humilde aposento a vossa disposicao.

O tempo perguntou ao tempo quanto tempo o tempo tem
Acho que uma das muitas fantasticas sensacoes que viajar nos traz e perder a nocao do tempo. Quando mudamos de sitio mudam algumas referencias temporais e o tempo psicologico muda com elas. Pois bem, sinto-me como se estivesse ca ha um ano. Caminho pelas ruas, ando de um lado para o outro, vou de aqui para ali... vou visitar isto e aquilo, cumprimento vizinhos, empregados de loja, restaurantes, jogo a bola, apanho autocarros... de alguma forma sinto-me confortavel no meio circundante o que faz psicologicamente distante do dia em que aterrei e fiz o check in no hotel e em que tudo me parecia estranho.

Ora esta sensacao tem o seu reves. Apesar dos meus diversos projectos, sinto que ainda nao fiz metade das coisas a que me tinha proposto; parece que cheguei nem ha um mesito... mas passemos a descricao que esta conversinha pseudointrospectiva da vontade de ir logo ao delete e mandar o mail para o ricicleble bine o la como isso se chama.

Apesar de ter estado sete meses em Madrid, tive problemas com o idioma. Estudar castelhano passou a ser uma prioridade. Bom para ser mais preciso, estudar porteno que e o idioma local. A diferenca e em tudo parecida a que vai do portugues de portugau ao portugues do brasiu. Trata-se toda a gente por voce (vos) conjugado com a segunda pessoa do singular, por exemplo: como estas vos. Em contrapartida, muitas vezes utilizamos os verbos na terceira pessoa do singular, mesmo com pessoas com quem temos intimidade, por exemplo: Que haceis, chica?. Ha outros pormenores linguisticos curiosos... muito curiosos mesmo.. bom, se calhar ainda falo de um em particular, mas antes queria dizer que uma das grandes diferencas e que LL nao se pronuncia LHE, como em Espana, mas sim CHE. Como te llamas ou Cuando llegaste tem uma fonetica quase igual a portuguesa... confundidos? Bom, confundido fiquei eu quando cheguei e por isso matriculei-me no curso intensivo da Catelhano da Universidade de Buenos Aires.

Provavelmente esta foi a causa de ainda nao ter feito tudo a que me tinha proposto. Durante as ultimas 5 semanas comecei o dia de trabalho uma hora mais cedo para poder sair uma hora mas cedo e ir ao curso. e estafante sair de casa as 7.30 para so regressar cerca das 23h ou 24h. O curso terminava as 20.30 mas, por mais cansado que esteja, ha sempre uma energiazita de reserva para um geladito, uma cervejinha (como se diz ca um chop), um cineminha, uma passagem pelo ginasio... sei la, qualquer coisa para espairecer um pouco, ne? As semanas passaram, ou melhor, correram! Uns dias cheguei ao trabalho com mais olheiras e outros com menos. Alguns dias nao me apeteceu nada ir ao curso de castelhano... muitos mais nao me apeteceu ir trabalhar bom, mas isto nao conta porque e normal. Acabo de terminar o curso de espanhol nivel intermedio alto com classificacao de 8 em 10. Ufaaaa, tava a ver que nunca mais!

Os dois sagrados dias da semana
Fim de semana e o deleite de qualquer prisioneiro do trabalho. Vistas bem as coisas ate me posso considerar priveligiado porque, em primeiro lugar tenho trabalho (o que e obra num pais com niveis de desemprego na ordem dos 55%) e, sem segundo porque so trabalho durante a semana. Isso das 35 horas semanais nem lhes passa pela cabeca, o normal e trabalhar tambem ao sabado de manha e o dia de trabalho ter pelo menos 9 horas... feitas as contas... voila: 50 horas por semana. Sou ainda mais priveligiado por receber em Euros e nao em Pesos Argentinos. Com quanto, o fim de semana e o deleite nao de qualquer prisioneiro do trabalho, mas dos prisioneiros do trabalho priveligiados...

Como qualquer pais sul americano que se preze, este e um pais de discrepancias sociais. e possivel viver a grande porque aqui ha de tudo para se disfrutar ao maximo, desde que se tenha uns tostoes no bolso...e nem sao precisos muitos tostoes! Um jantar num sitio fashion/jovem pode custar...deixa la ver... uhmmm.. 40 pesos e ja inclui um bom Cabernet Sauvignon Finca Flichman. Ora bem... 40 pesos sao pouco mais que 2cts. Mas um melhor exemplo e uma cadeia de entenedor livre (nao me lembro do nome em portugues mas e um restaurante em que se paga uma quantia fixa, vao havendo reposicoes e come-se o que se quer e quantas vezes se quer) em que por 600 paus come-se BEM e ate rebentar.

Voltando as discrepancias. Existe muita gente com dinheiro. Bons carros, joias.., boas casas..., quintas nos arredores da cidade com piscina, cavalos, vacas..etc. Para estas pessoas existem milhares de alternativas: jantares, festas, clubes, cinemas, teatros, viagens, cursos variados, piscinas, roupa e por ai em diante MAS, e aqui reside a piada da coisa, tambem se pode disfrutar sem gastar um tusto! E e isso que o comum dos portenhos faz.

La buena vida es cara. Hay otra..., pero no es vida.

Nao podia ser mais desfasado da realidade este dito popular espanhol. O sol quando nasce e para todos e e ve-los (e ve-las) todos a apanhar o belo solzinho ao fim de semana nos milhares de parques que existem pela cidade (na praia nao porque, relembro, esta a cerca de 350 kms). Um dos costumes mais tradicionais da argentina e o MATE. Nao, nao se assustem que nao e nenhuma palavra de ordem do Bush aos seus soldados. Mate e uma erva que se coloca num recipiente especial (e alguns bem bonitos, por sinal), junta-se agua quente e bebe-se por uma palhinha metalica.Cha! Dirao os mais atentos; sim um tipo de cha mas em que a proporcao de erva e bastante superior a de agua. Ha todo um ritual de partilha no momento do mate e e um privilegio ser-se convidado para tomar mate. Pois bem, ha milhares de pessoas: grupos de amigos, familias..., nos parques a beber mate, a ler, a jogar a bola, a fazer yoga, a passer os caes, a pescar nos lagos, a cansar os putos, a apanhar sol ou a observar os locais para depois fazer cronicas do novo mundo...hihihi.

Depois ha os assados a la parrilha (o tao portuguesinho churrasco) com excelente carne e sempre regados com Quilmes (a sagres/suberbock ca do sitio). Os que tem dinheiro disfrutam da parrillada na casa de campo ao lado da piscina e antes de uma tarde de golfe ou polo (para os mais desatentos e aquele desporto que se faz com cavalos e nao polo aquatico que e jogado em agua.. e sem cavalos). Os mais ajustaditos fazem a parrilhada na rua a frente de casa ou nalgum patio. Diferentes formas de partilhar um mesmo momento de combibio. Gosto de ambos.

Ha noite descobrem-se as mesmas discrepancias. Uma bebida branca num bar ou discoteca pode custar 20 pesos (900 paus). Mais uma vez para um estrangeiro isso e normal, mas para um local e provavel que esse seja o seu orcamento alimenticio semanal. Mais uma vez, a falta de dinheiro nao impede a diversao. Por todo o lado estao abertos toda a noite um genero de quiosques que vendem litradas de Quilmes a um 1,5 pesos e todo o genero de providencias que a noite pode requerer (mate, whiskey, tabaco, chicletes, acesso a internet, chocolates, a bela da bifana...). Assim, em lugares centrais tipo pracas, parques, locais turisticos, etc; ha milhares de jovens a conversar, a jogar a bola, a tocar guitarra, a andar de bicicleta, a olhar para as estrelas (normalmente estes sao os que passaram um pouco da dose) as 5 DA MANHA COMO SE FOSSE 5 DA TARDE. Eu acho piada e parece-me uma excelente alternativa para os noctivagos. A acrescentar a isto, os autocarros nao param o que tambem ajuda a que a madrugada pareca final de dia. e o combibio, bom de ver e melhor ainda de participar!

Ja vai longa esta descricao e a pergunta ainda esta no ar... e o TANGO?

La Revancha del Tango
O Tango, como falei no outra cronica, tem perdido adeptos entre os jovens; um pouco a imagem do fado em Portugal. O Tango e a voz do povo e, na sua genese e uma musica triste e que fala de angustias e sofrimento. e sempre algo dramatico e tristecomo o fado o e. Ir a uma tradicional casa de Tango e uma experiencia parecida com ir a uma casa de fados. Dois tres individuos a viola e uma/um cantor de bela vozcom um pouco de sorte tambem um acordionista. Gente mais velha, muitos turistas, e todos com um ar nostalgico e melancolico... e sem dúvida bonito ou nao fossem os locais de tango sitios lindos. Amplos com grandes janelas e grandes cortinados, mesas bonitas, empregados vestidos a rigos, candelabros a iluminar em tons luscos fuscos e, sobretudo a predominancia do vermelho/escarlate a fugir para o bordeaux que e, por excelencia a cor do Tango. Tipo a ideia que tenho de um cabareo cabare da coxa, mas ja nao um prostibulo mas um tradicional e muito bem frequentado Clube de Tangos. Vide por exemplo http://www.buenosaires.com/enlaciudad/casasdetango/el_viejo_almacen/index.htm ou http://www.querandi.com.ar/ ou ainda http://www.esquinacarlosgardel.com.ar/

Isto e a genese do Tango, mas existe a variante que e o Tango dancado, conhecido como a La Milonga. O Tango dancado e um misto de sensualidade e seducao. Ha mesmo quem diga que dancar Tango e fazer amor em publico. Eu ja dancei uma 1 hora e meia seguidinha... hehehe...

O Tango dancado nasceu em prostibulos nos finais XIX. A danca so tinha lugar em de Casas de Passe porque nao era permitido as senhoras exporem-se da forma provocante que o tango convida, para alem de que, claro esta, este tipo de danca nao era para as senhoras. So em meados dos sec XX se generalizou. Assim faz sentido que a danca seja completamente conduzida pelo homem e que a mulher se deixe conduzir em simbiose com homem. O Tangueiro e seguro e orgulhoso, por isso danca com o peito para fora e e com o peito que insinua e indica o passo. Primeiro tem de cativar a dama, depois a sua mestria e a de avancar convicto sobre o espaco que ela lhe oferece para avancar. Deste dialogo corporal resulta a harmonia, elegancia e sensualidade da danca. Ahhh..., ha um pormenor importantissimo... e fundamental a cara com que se danca Tango... o homem tem de ter um ar compenetrado e serio, bem masculo e superior, e mulher tem de olhar o homem com um olhar cativante... sedutor.

Entre 1 e 9 de Marco quem esteve em Buenos Aires foi brindado com o V Festival de Tango de Buenos Aires (http://www.festivaldetango.com.ar/). Neste festival tive uma aula de conjunto para principiantes. Fui com uma alema, um argentino e uma russa... bom, o resultado foi uma salada... argentina. No total eramos seguramente mais de 100 pessoas num espaco amplo e todos a esforcarem-se por seguir criteriosamente as indicacoes dos instrutores... uns melhor e outros pior mas todos com o mesmo espirito. Adorei. Melhor so mesmo o que se seguiu. A Calle Corrientes (conhecida por ser a rua dos teatros, cineteatros, casas de tango..) estava fechada para os concertos no ambito do Festival. Para alem de ver maravilhado os concertos deliciei-me a ver centenas e centenas de pessoas de todas as classes socias, idades, credos e aparencias... a bailarem pelas ruas ao som das orquestas. Nao vou tentar descrever porque me faltariam as palavras, posso apenas dizer que e um espetaculo lindo de se ver... e que concordo: algumas vezes bailar Tango e fazer amor em publico....

Para alem deste festival, Buenos Aires respira Tango no seu dia a dia, mas so em sitios mais localizados: em Casas de Tango, Feiras e Pracas. E ha de tudo; do mais turistico (sem deixar de ser belo) ao mais expontaneo e tradicional. Aqui fica a promessa de em breve ilustrar as minhas palavras com fotos. Podem entretanto consultar os sites http://www.todotango.com/ ou http://www.abctango.com.ar/ se quiserem saber mais sobre Tango.

Don’t Cry for me ONU
Bom, entretanto, vou iniciar este fim de semana as viajens pela America do Sul. Comeco, naturamente, pela argentina e mais especificamente por El Calafate. El Calafate e uma zona de glaciares considerada pela UNESCO Patrimoneo da Humanidade. e portanto area protegida para toda a Humaninade, a excepcao, claro esta, dos Representantes Divinos na Terra. Esperemos que Presidente do Imperio da Nacao dos Escolhidos nao descubra jazigas de petroleo e considere a zona uma ameaca potencial para a liberdade de consumo e resolva atirar umas bombinhas. Bom... nao me vou alongar muito neste tema porque, afinal de contas... nos (leia-se nos portugueses) legitimamos pelo voto um governo que apoia jenucidios e o desrespeito pelas Instituicoes Internacionais. O que, alias, faz sentido, senao olhemos para a nossa historia. Nao descendemos dos barbaros? Nao encetamos no sec XV chacinas em nome de Deus para bem do povo africano? Porque nao em neste novo milenio voltar as chacinas em nome do Deus Dolar e colonizar o Medio Oriente para alimentar o Dragao Consumista?

Bom, perdi-me um pouco com esta reflexao e aproveito para dizer que tento me manter actualizado sobre o que de importante se passa no mundo. Claro que eu sei que o Rui Costa esta prestes a voltar ao Benfica e que o Camacho vai continuar na Luz. e claro que sei que o Carlos Cruz foi de cana. Claro que sei que a Mafaldinha e a Luisinha estao cada vez mais lindas. Claro que nao vou permitir que CAPRICHOS MATERIAIS me tapem os olhos ao que a potencia dominante esta a fazer ao mundo com a nossa conivencia. Claro que nao deixo de me preocupar por o ser humano continuar a guiar-se pela ganancia, avareza e prepotencia e nao por PRINCIPIOS HUMANISTAS.

Ok, passei-me um pouco, mas nao pude deixar de fazer este desabafo, e dificil alienar-me do que se passa no Iraque... e agora ta escrito ta escrito e vou enviar. Peco desculpa se feri susceptibilidades...

Bom... ainda nao programei o resto das viagens, mas aproveito para aconselhar a quem tem por ideia visitar Argentina um saltito ao seguinte sitio: http://www.sectur.gov.ar/esp/menu.htm. e uma visao bem real e completa da enorme e variada República da Argentina. Dentro das minhas possibilidades vou viajar e descrever as viagens nas cronicas. Como disse, no proximo fim de semana vou a El Calafate ver o glaciar Perito Moreno!

Antes de terminar devo falar ainda um pouco da minha vivencia social e do trabalho. O trabalho corre normalmente, demasiado normal ate. Ainda nao vi nem fiz nada de novo, assim que nao ha nada de muito excitante para contar.

De resto... como comecei por contar, tenho tido umas semanas bastante preenchidas com o curso de castelhano e os fins de semana tem sido aproveitados para conhecer a cidade. Foi no curso que fiz mais amizades, talvez por serem na maioria pessoas que, como eu, sao de fora e nao tem grandes rotinas e, como eu, tem vontade de conhecer pessoas e esta nova cultura. e com estas pessoas com quem mais tenho estado. De resto, e apesar do espirito aberto dos locais, a integracao e sempre demorada e algumas vezes dificil.... algumas vezes faz-me sentido a música do Sting I´m an alien, I´m an English man in New York. Nao, nao vou fazer comentario a cerca dos inglesinhos e dos nova yorquinos.... mas, por vezes, sou um extra-terrestre, sou um Tuga no Novo Mundo.

Deixo-vos com saudades e com a promessa de me emiscuir, misturar e pesquisar para que na proxima cronica tenha mais particularidades e fotos para partilhar convosco. Aos resistentes que chegaram ate aqui os meus parabens e guardem folego que a proxima sera maior!

Espero que tudo bem por ai, pelo menos tao bem como aqui na cidade baptizada em 1536 de Puerto Nuestra Senora Santa Maria del Buen Aire, no pais de Che Guevara, Maradona, Jose Luis Borges, Astor Piazzola, Carlos Gardel e Evita Peron... e Menem (digo baixinho para que ninguem aqui me oica...).

Beijos & Beijos deste vosso amigo,
Che Augusto
La Revancha del Tango

 
I CRONICA DO NOVO MUNDO 18 Fevereiro 2003
veja as fotos em www.funtigo.com/Augusto


Faz hoje precisamente um mes que aterrei nesta formosa cidade baptizada em 1536 de Puerto Nuestra Senora Santa Maria del Buen Aire.

Descobrir um sitio novo e ao mesmo tempo fascinante e dificil... mas, quando o sol brilha resplandecente e a gente e comunicativa, torna-se mais fascinante que dificil.

Primeiras impressoes
Fiquei num hotel quase duas semanas ate encontrar o meu apartamento. Com tanta coisa nova ao mesmo tempo, pouco tempo livre para procurar casa e, sabendo desde logo a importancia de escolher bem, vi muito antes de tomar a melhor decisao.

Alegro-me agora da escolha que fiz. O apartamento e uma delicia um quarto, sala, kitchnet com balcao para a sala e uma terraza com espa co para churrasco. E num 8? piso de um predio moderno e esta decorado ao estilo mediterranico. Esta virado a Este o que quer dizer que apanho sol de manha. Breve compro uma camara digital e envio fotos para ilustrar melhor o que as palavras nao alcancam... mas e realmente um mimo. Informo que o sofa da sala e sofa cama... estam desde ja convidados!

Em relacao ao emprego... bem, trabalho e trabalho e cognac e cognac... mas aqui cognac e o trabalho!!! Ja trabalhei em alguns negocios (dos telemoveis aos isqueiros, passando por refrigerantes, bancos...) e constato que este negocio dos vinhos tem realmente muitos atractivos. Ja me estou a tornar um especialista de vinhos - Branco ou tinto? Muito, desde que seja Finca Flichman! Mas deixemo-nos de coisas serias e vamos ao que interessa...

Nunca tinha estado na America do Sul (ou tinha mas ha alguns anos) e nao sei muito bem o que esperava. Algumas vezes, penso que estou em Madrid... outras, muitas outras, nao tenho a menor duvida que estou num pais do mundo descoberto por engano por Colon (refiro-me ao Cristovan Colon, sabem quem e?).

Paris da America do Sul acenta-lhe bem. A arquitectura do centro e imponente e imperialista e ha um sem numero de edificios que lembram algumas cidades da Europa... muitas vezes de Leste! Tem edificios trabalhados e cuidados ao estilo renascentista... mas, se nao me falha a historia... por essa altura eles ainda comunicavam por fogueiras... mas que os hay, hay! Mais uma vez... uma imagem vale mais que mil palavras e em breve envio fotos.

Cade os moreninhos e mulatos que se viam nas novelas? Cade os muleque de rua? As pessoas ca sao bem ao estilo Europeu. Ha, isso sim, uma grande variedade... do loiro ariano ao moreno indiano.. do alto ao baixo do gordo ao magro (se bem que mais magro que gordo que toda as pessoas cuidam muito a aparencia...e qd digo muito e muito mesmo!). Desta mescla (digo mescla porque nao sei escrever miquecisnacao..) surgem resultados... va la... interessantes... e mais nao digo. Estranhamente, africanos nao vi mais que um par. Com um bocado de jeito la se encontram pessoas com tracos indios (Querandi era o povo que habitava esta zona as Pampas, quando os colonizadores invadiram) como por exemplo a minha empregada... o homem do lixo... as centenas de putos que pedem nas ruas... bem que los hay, hay, mas em vez de viverem na floresta como ha alguns seculos, vivem na selva: os bairros de lata que aqui se chamam bichos. Andam pelas ruas e pedincham... mas isso nao interessa para nada, ne?? Bem, como dizia... as pessoas ca sao ao estilo europeu e andam muito arranjadas...

Ouviram falar da crise que a Argentina atravessa, nao? Pois eu tambem... nao a vejo em nenhum lado, mas que hay, hay! Conto-vos resumidamente a historia (se estiverem cansados podem passar esta parte). ha cerca de 10 anos, quando se estava sobre o governo de Menem (atencao... Menem e o principal candidato a vitoria nas proximas eleicoes ja dia 27 de Abril. O dinossauro regressa!) implementou-se o sistema da paridade: 1 Peso Argentino = 1USD. O objectivo era controlar a inflacao galopante... caracteristica comum dos paises da America do Sul. Foi tudo muito bonito por 10 anos... tinham poder de compra, eram mais ricos que os vizinhos (Chile, Paraguai, Brasil...) tinham nivel de vida: fartavam-se de viajar tinham electodomesticos roupa e bens de consumo importados... ate que... um belo dia....em Dezembro de 2001 houve o que ficou conhecido como o curralito: tao simplesmente o sistema da paridade terminou! Como hoje e obvio, o sistema da paridade nao era sustentavel. Hoje o Peso Argentino flutua consoante as leis de mercado e nao e fixado artificialmente... neste momento vale 1/3 do USD. Imaginem que, de hoje para amanha o euro passa a custar 70 paus. Tudo o que tem ai em portugal passa a valer imeditamente 3 vezes menos... a casa, o carro, o ordenado, as contas bancarias. Se so se consomem produtos nacionais tudo se mantem igual... mas, como vivemos em economia aberta, em termos reais a grande maioria das coisas fica tres vezes mais cara. Apenas se mantem barato o que e feito unicamente com materia prima nacional: como a comida e pouco mais. Tudo: o que e importado fica tres vezes mais caro. Acabaram-se as idas ao estrangeiro, a roupa importada, o robot de cozinha... etc, etc. Ora bem... se ha algo que j? percebi nestes minhas 28 primaveras e que, sempre que ha uma crise... ha sempre quem lucre com ela. Pois bem... neste caso quem lucra SOU EU!!! Reparem: a moeda vale tres vezes menos... como eu recebo em Euros, o que se passa e que sou tres vezes mais rico c?! Ok... lets cut the chase... SOU RICO! Varias vezes vou e venho de taxi para o emprego, almoco e janto todos os dias fora (e so em sitios de nivel) compro CDs so porque curti a capa, inscrevi-me num gymnasio/spa, comprei uma mountain bike mt fixe, uma maquina de barbear, etc, etc... tasse bemmmm! Ehhh..., ja entrei no novo milenio... viva o consumo desenfreado, inutil e futil! Viva as marcas de roupa com nomes tipo Italiano ou frances... que bom que eu sou... a minha camisa e mais cara que a tua nhaaa, nha, nha... Upsss, e melhor falar baixo porque afinal esta e a terra do Che Guevara.

Bom..., o que me parece mais dificil de descrever sao as pessoas e a sua forma de estar na vida. Quanto a isso, nao ha duvida que estou na America do Sul. Parece que na Europa poupamos palavras (e cada vez mais)... eles esbanjam. Falam sobre tudo e sobre nada fala-se com quem se conhece e com quem nao se conhece... cumprimenta-se toda a gente e toda a gente responde bem... por exemplo entra-se num taxi e primeiro saluda-se o motorista com um cordial Hola como lle va? a resposta e quase sempre tambem cordial... Pergunta-se pela mulher e pelos filhos... explica-se o que se esta a fazer ca na Argentina... fala-se do Eusebio do Figo e da Amalia se morrio? Dios mio que mujer que fue! E depois, so depois, se diz para onde e que e suposto o taxi levar-nos. Outra experiencia alucinante sao os autocarros... param em todo o lado, basta carregar no botao que o condutor quando pode para e abre a porta, se estiver no transito tambem se pode pedir que ele deixa entrar, mas tambem pode ser que o vejas a vir e, simplesmente nao pare porque nao lhe dava muito jeito ou nao lhe apeteceu. Varias vezes o condutor vai a ouvir radio enquanto fuma o seu cigarrito, bem em baixo do sinal com as letras garrafais Proibido Fumar. Ahhh... e o mais giro e que, com um bocado de jeito, pode ser que ele mude o percurso para te deixar num sitio qualquer... e absolutamente irreal! Conduz-se sem regras, bem ao meu estilo e aqui nao fazem o teste do alcool!!!!! Mas nao se preocupem... nao conduzo a minha mountain bike muito bebado nem planeio comprar carro...

Segundas impressoes
Apenas quando mudei do hotel para minha casa e que senti que aterrei.

Vergonha das vergonhas... ainda nao tive aulas de Tango. A proposito do Tango, desculpem se vos desiludir mas, hoje o Tango e pouco mais que um produto que se vende aos turistas principalmente de terceira idade... algo antiguado... tipo o fado para nos. De qualquer das formas... e liindo! Convido-vos a ir ao Domingo a Plaza Dorrego em San Telmo ou a Caminito que fica no bairro La Boca (nao vos diz nada... La Boca... Boca Juniors... Maradona). Ok que e para inglesinho ver...mas vale mesmo a pena! Mais uma vez... as fotos vao falar por si.

Algo que reparo e que se dorme muito pouco... as grande maioria das casa nao tem as persianas a que estamos acostumados (tipo black out) e, como o sol nasce as 6h... as 7h ja ta tudo a pe! Mesmo depois de uma noite de copos... com uma ou duas horinhas recupera-se energias e vamos nessa que se faz tarde a bessa! Se se esta cansado, dorme-se na relva de um parque ou na piscina. E costume sabados e domingos deparar com os notivagos a recuperrar energias ao sol. Como sabem... estamos a 300/400 kms da praia e, para compensar a falta de areia (se bem que a praia e absolutamente insubstituivel, ne) ha muitas piscinas e parques onde o pessoal que fica em Buenos Aires de fim de semana vai apanhar sol... relembro que estamos no pico do verao. Os parques sao mesmo uma caracteristica da cidade... ha imensos, super bonitos e super agradaveis para passear.

Por falar em passear...ha tambem muitas feiras de antiguidades e tipo freak. Sao lindas e uma delicia para estrangeiros... e tambem para os locais. Cafes imensos, esplanadas.... Puerto Madero (tipo docas), La Costonera a costa. A costa? Sem praia? Pois e Buenos Aires e banhada pelo Rio da Plata. Do outro lado do Rio e o Urugay... mas nao se ve a outra margem do rio... parece incrivel mas esta oculta pelo horizonte! E inacreditavel, ou nao fosse este um dos estuarios mais largos do Mundo... apesar disso, nao deixa de ser um dos mais porcos tambem... Argentina tem muitos records de grandeza, para alem do maior rio tambem a avenida mais larga do mundo... e, apartir de agora, o maior mail do mundo: este! Ressalta a vista que espa co nao lhes falta. As estradas sao enormes (e normalissimo avenidas com 10 faixas no mesmo sentido) alias, a unica forma transitarem os 10 milhoes das pessoas que habitam na grande Buenos Aires. Mais de 6000 Kms de Costa. ...Museus... estou a espera do inverno para ir, sim porque agora o pessoal que ar livre e bicla...

Bueno, com isto tudo ha o modos vivendus porteno (assim se chamam os habitantes de Buenos Aires). O primeiro que salta a vista e o gosto pelos assados a la parrilla. Numa palavra, churrascos. Come-se tao, tao, tao bem... a carne e uma maravilha - ou nao fosse considerada a melhor do mundo. E de comer e chorar por mais. O churrasco para um porteno esta como o feijao com arroz para o brazuca. O vinho,....o vinho... o vinho.... sem palavras - ou nao fosse tambem um dos melhores do mundo, principalmente os Finca Flichman! Para rematar o Dulce de Leche (tipo leite condensado depois de ir ao forno)... bom a comida e uma perdicao... tive de entrar logo para o ginasio para nao ficar bola outra vez...

Musica. Para alem de Tango - belissimo (ok, sou suspeito porque La Revancha del Tango dos Gotan Project um dos meus albuns preferidos) existem algumas manifestacoes locais interessantes. Charlie Garcia e um idolo/icon local. Imaginem o Pedro Abrunhosa, o Rui Veloso, o Sergio Godinho e o Jorge Palma tudo numa pessoa... pois e, agora ponham-lhe um pouco de Alice Cooper e conseguem imaginar o personagem. Acho que nao ha um Argentino que nao o adore.

Last but definitely no least: Kevin Johansen. E um Argentino que faz uma musica variada e que junta varios ritmos e sons, sabores e odores ou nao fosse ele um cidadao do mundo. Canta em Argentino/Espanhol, Ingles e Frances, ... um pouco ao estilo Manu Chao, mas a musica e diferente..., um pouco mais sobria.... numa palavra: maravilhoso. Tenho ouvido diariamente o album de estreia e vou ter o previlegio de o ver tocar ao vivo neste fim de semana... apesar de ainda desconhecido, e, desde ja, um icon para mim.

Bueno, acho que por agora chega, nao? Bom, com tudo isto queria apresentar-vos esta bela cidade vista pelos meus olhos de viajante diletante e, cada vez mais, cidadao do mundo mundial. Deixo-vos com saudades, espero que esteja bem e fico a aguardar noticias vossas. Quanto a mim, prometo continuar a escrever.

Beijos e abracos.... ahh quase que me esquecia... ca os homens dao beijos para se cumprimentar..... por isso...

Beijos & Beijos deste vosso amigo,
Che Augusto
La Revancha del Tango


Powered by Blogger